Força, amiga!

É de um dia para o outro: na terça-feira ele te dá um beijo carinhoso de boa noite e vai dormir na hora que você mandou. Na quarta-feira, ele acorda atingindo 10.5 graus na Escala Meany Ranheta de mau humor, bate a porta do quarto e te odeia, aparentemente sem nenhum motivo.

Não, não foi algo que você fez, não foi algo com que ele sonhou nem foi algo que você deu para ele comer. Não é uma intoxicação alimentar ou uma virose. Não são sintomas de ebola nem do apocalipse zumbi. É pior, muito pior, terrivelmente pior: você se tornou a mãe de um adolescente.

Bem que você deveria ter percebido que aquele pelo único nascendo no meio da cara era um sinal: coisa pior viria pela frente.

E agora que você caiu na mais ardilosa armadilha da natureza, se apaixonando por aquele bebê gordinho e que fazia uma gracinha diferente dia após dia até os 11 anos de idade, não adianta chorar: é hora de mostrar que realmente ama essa pessoa incondicionalmente e respirar fundo toda vez que tiver vontade de fugir de casa. Apesar do bigode ralo que insiste em crescer naquela cara que era tão linda e tão lisinha, não se engane, ele ainda precisa de você. Não tem devolução, seu filho não cabe mais na cestinha e não dá para colocá-lo na porta de um desconhecido com um bilhetinho “cuide bem dele”. Você o ama, você não viveria mais sem ele, você está fodida.

Agora você precisa ter calma, contar até 10, até 100, até um milhão, até (o que vem depois de quinquilhão?)… Toda vez que ele estiver gritando contigo porque você tirou dele o celular como castigo por ter ido mal nas provas, você vai precisar lembrar de que também passou por isso. Lembre-se da pentelha que você foi e do quanto odiou sua mãe (e em seguida ligue para ela pedindo desculpas) só porque ela não te deixou ficar míseros dez minutos mais na festa do Ricardinho e ainda por cima foi te buscar de fusca e estacionou na porta da casa dele. Que humilhação!

Este Manual da Mãe de Adolescente não tem a menor pretensão de te ensinar estratégias para você passar por isso porque cada adolescente é diferente do outro, embora todos sejam pentelhos. Este Manual tem a intenção apenas de te mostrar que você não está sozinha nesta jornada: estamos todas juntas, de mãos dadas, abrindo uma clareira nessa mata escura e cheia de lama.

A boa notícia é que vai passar. A má notícia, minha amiga, é que demora uma penca de anos. E você vai precisar beber. Tim-tim.

Anúncios

6 comentários

  1. Tathi Anselmo · abril 10, 2015

    Amo você escrevendo. Amo que você voltou com o blog. Amo o seu amor pelo seu moleque! Você é foda, Lelê! ❤

    Curtir

  2. Andréia · abril 10, 2015

    perfeito.. estou nessa fase ..tim tim

    Curtir

  3. Dona Rose: sua mãe a avó do adolescente · abril 10, 2015

    agora vc tá vendo pq eu vivia dizendo q tinha vontade de guardar vcs no armário e tirar só qdo vcs atingissem a maioridade! é por tudo isso.Mas fica fria…passa rapidinho e depois qdo ele estiver na fase adulta vc nem vai lembrar mais! ❤

    Curtido por 1 pessoa

  4. Marcela · abril 10, 2015

    tenho 2, agora, uma de 14 quase 15 e outro de 11 quase 12. Acho que vou precisar de muitas doses… Kkkk
    Parabéns pelo texto, muito bom! E por voltar a escrever! Bjo

    Curtir

  5. mvbmoon · abril 10, 2015

    Lelê e os melhores textos da internet! \o/

    Curtir

  6. Thais · abril 11, 2015

    Você é incrível!!! Promete que não vai deixar os seus leitores órfãos? Parabéns, como sempre muito bom! Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s